Homossexualidade No Mangá E O Anime 1

Homossexualidade No Mangá E O Anime

A homossexualidade foi tratada em o manga e o anime desde há muitos anos no Japão. O tratamento dado na cultura japonesa, dos gêneros e das relações entre eles, tomou imensos cursos por meio do último milênio, e tal o mangá como no anime refletem estas alterações.

Muitos mangas e animes têm tema homossexual entre homens; destinam-se, principalmente mulheres e podem ser adquiridas em geral, nas livrarias no Japão. O conteúdo homossexual entre mulheres assim como existe, porém descobre-se muito menos divulgada. O termo genericamente utilizado é “carinho”, um acrônimo da frase “Yama nashi, ochi nashi, imi nashi”, que significa “sem clímax, sem resolução, sem significado”. June se cita aos argumentos que contêm drama e romance homossexual entre os protagonistas (homens) adultos. Dentro das grandes colunas demográficas de fãs na América do norte e Europa, esta terminologia é mais ou menos condensada dentro de “afeto” e “shonen-ai”.

Sendo o amor o termo usado para dizer-se a especificações gráficas de sexo homossexual e/ou drama de temas adultos, shōnen-ai é usado pra se referir a situações românticas com protagonistas mais jovens. Gee-pa (“gay-comics”) são quadrinhos de corte homossexual dirigidos a homens homossexuais.

Enquanto que as histórias de afeto geralmente é designado a um dos participantes do casal um papel feminino, o gee-comi ambos são descritos masculinamente e em uma relação de parecidos. O tema lésbico está menos divulgada, mas existe e é denominado como “Yuri”.

  • 4 questões sobre isto as moças de arras
  • 29 Política de votações
  • 3 Personagens pequenos em Grand Theft Auto: San Andreas
  • “Jem Theme”
  • 251 Uma barnstar para ti
  • Javi Martínez: “Foi um alívio que não era Messi”
  • um Membros do Host Club 1.Um Haruhi Fujioka
  • seis Prémios da Associação de Críticos e Jornalistas de Teatro (ACPT)

Yuri é um termo muito mais grande do que afeto, teoricamente devido à distribuição do mesmo. De todas formas, os fãs americanos e europeus tendem a usar yuri em referência a histórias lésbicas com cenas gráficas de sexo, e categorizam as puramente românticas como shoujo-ai.

Isto freqüentemente cria desarrumação, pelo motivo de no Japão o termo shoujo-ai não implica tema lésbico; é utilizada para relatar histórias com sexo percebível entre homens adultos e criancinhas menores de idade. Outra palavra que se fez recentemente popular no Japão, é o equivalente a yuri, “GL” (o que se traduz como “Girls’ Love”,”Amor de guria”, claramente inspirada em “Boys Love”, “Amor de Meninos”).

Post criado 551

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo